quinta-feira, 6 de maio de 2010

Escrevi esse texto no começo do ano passado, e já aconteceu e mudou tanta coisa..
Estava muito mal nessa época. E que texto lindo, pessoas deprimidas são tão inspiradas.. rs
É engraçado ver as coisas no passado, parecem tão bobas. mas quando vividas, foram tão fortes. É como ver as coisas de fora, fica tudo mais claro pra quem não tá sofrendo.
As vezes me pego dando conselhos que seriam tão uteis a mim, e eu simplesmente não uso. Tá ai, é muito fácil falar.
A história contada marcou muito minha vida, de fato ela não começou, nem acabou ai.. ela dura até hoje, mas de uma forma um pouco mais saudavel. rs (eu ainda gosto dele, mas não penso mais tanto nisso, muito menos dependo disso. Somos amigos, adoro ele como pessoa e ele se preocupa comigo. Ele namora, mas me da mole. é homem né? rs. Eu ainda não fiquei com ele, mas se rolar, não vai mudar nada. Eu tô gostando dessa "liberdade". Eu sou minha e ele é dele, e deixa pra que aconteça o que tiver que acontecer)
Nessa parte da história, foram dois meses não vividos, não vividos mesmo, tanto que eu mal lembro. Só que eu não me entregava ao vazio, eu lutava contra isso. Depois de um tempo, as coisas melhoraram, não pense que me superei e recuperei sozinha, ele voltou pra mim e eu achei que seria meu final feliz. Boba né?
Voltei a viver, ou pelo menos a me sentir viva, pra fazer mais sentido. Só que eu me entreguei mais ainda, dei meu coração, minha alma, meu corpo, minha vida. E acabou de novo. Mas dessa vez o erro não foi meu, muito menos a decisão.
Toda aquela tristeza e monotomia voltaram, mas voltaram com tudo, como se tivessem morrendo de saudade de mim. Acho que é porque eu as tratava muito bem, alimentava essa tristeza todos os dias. Foi pior que tudo que eu já vivi, não dava pra disfarçar. Eu chorava a cada segundo, não comia, não saia e mal comia. Quis morrer, não só quis, como tentei. E demorei pra me arrepender. Que absurdo meu deus, querer acabar com a minha vida por uma coisa assim. Tanta gente com motivos maiores pra desejar a própria morte e tão ai, firmes, fortes e vivos.
Como eu fui egoista, não pensei no sofrimento que seria pra minha familia, não pensei nas outras coisas muito mais importantes que me fazem feliz.
Foi tão intenso, que valeu a pena. Porque eu aprendi, eu aprendi de uma só vez. Pra nunca mais fazer qualquer coisa parecida. Eu me recuperei aos poucos, e hoje sou minha de novo. Peguei de volta tudo que eu tinha entregado, inclusive mágua e raiva.
Sempre me perguntam, eu já sofri por garoto sim. e muito, por isso não sofro mais. Não me iludo, muito menos me entrego, mas não desaprendi a amar. Pelo contrário, aprendi a amar mais. Agora não amo somente os outros, eu me amo também, e muito. Só que eu não vou sofrer por ninguém. E não é só em relação a meninos.. amigos e familia também constam. Serei feliz com a pessoa ao meu lado, mas sua ausência não vai fazer diferença. Talvez eu chore, sinta falta, mas será só pra manter minhas emoções vivas, em minutos volto ao normal.
Insensivel é quem me julga insensivel, e não sabe metade do que me fez agir assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário